sexta-feira, 29 de abril de 2016

Cadeirantes e amputados viram modelos em projeto fotográfico no AC

'Sou Mais Eu' vai fotografar pelo menos 25 pessoas em Rio Branco.
Projeto quer arrecadar R$ 25 mil para calendário e exposição.

Caio FulgêncioDo G1 AC
Fotos expressam sou', diz Rebeca de Paula, de 31 anos, uma das modelos (Foto: Marcos Vicentti/Arquivo pessoal)'Fotos expressam quem sou', diz Rebeca de Paula, de 31 anos, uma das modelos (Foto: Marcos Vicentti/Arquivo pessoal)
Como luta ao preconceito, o projeto “Sou Mais Eu”, parceria entre o fotógrafo acreano Marcos Vicentti e o Centro de Apoio à Pessoa com Deficiência Física do Acre (Capedac), tem realizado ensaios com cadeirantes e amputados em Rio Branco. A ideia é realizar uma exposição ainda este ano e confeccionar um calendário, cuja venda será revertida à causa.
Vicentti, que já atua no estado há 20 anos, conta que a ideia das fotos surgiu após um curso ministrado aos associados da Capedac. Pelo menos cinco pessoas já foram fotografadas, porém, o trabalho total deve ser composto por imagens de 25 modelos. A exposição está marcada para 3 de dezembro deste ano, Dia Internacional das Pessoas com Deficiência.
“Eles [modelos] se veem super valorizados na fotografia. Passo duas ou três horas com cada um, seja realizando sonhos ou impondo desafios. Muitos vivem em casa, sem alternativa de saída, e o ensaio é uma maneira de estar trabalhando a autoestima”, diz o fotógrafo.
Fotos fazem parte de Projeto Sou Mais Eu (Foto: Marcos Vicentti/Arquivo pessoal)Fotos fazem parte de Projeto Sou Mais Eu (Foto: Marcos Vicentti/Arquivo pessoal)
‘As fotos expressam quem sou’, diz fotografada
A funcionária pública Rebeca de Paula, de 31 anos, uma das modelos, diz que aceitou participar do projeto para mostrar à sociedade que, apesar da deficiência, não precisa viver escondida em casa. Ela lembra que teve a perna direita amputada após um acidente de trânsito em 2005. O cenário do ensaio foi um ferro velho.
“As fotos ficaram maravilhosas e expressam quem eu sou. Sou bem resolvida comigo, não tenho problema em usar bermuda ou vestido. Independente do que aconteceu [acidente], de ter ficado uma sequela grave, minha vida continua normal. Apesar das dificuldades do dia a dia, a vida continua”, diz.
Ubiratan dos Santos diz que realizou o desejo de voltar ao ambiente do campo (Foto: Marcos Vicentti/Arquivo pessoal)Ubiratan dos Santos diz que realizou o desejo de voltar ao ambiente do campo (Foto: Marcos Vicentti/Arquivo pessoal)
Ubiratan dos Santos, de 38 anos, ficou paraplégico em 2013, depois de um acidente de motocicleta e, com o projeto, conseguiu realizar o desejo de voltar ao ambiente rural que tanto gosta. Antes da cadeira de rodas, ele trabalhava com gado.
“Foi uma experiência nova. Fazia tempo que não tinha contato com o campo. Antes do acidente, eu mexia com gado, animal. Depois que me acidentei, tudo parou. Disse ao fotógrafo que gosto desse meio e acharam melhor tirar as fotos em um rancho. Foi ótimo”, revela.
Patrícia Nascimento diz que trabalho ajuda a conscientizar  (Foto: Marcos Vicentti/Arquivo pessoal)Patrícia Nascimento diz que trabalho ajuda a
conscientizar (Foto: Marcos Vicentti/Arquivo pessoal)
As fotos de Patrícia Nascimento, de 22 anos, foram feitas em estúdio. Assim como Santos, ela ressalta que foi uma vivência diferente e que gostou do resultado.
“As fotos ajudam muitos cadeirantes a ver a vida de outra forma, sem se acharem ‘coitadinhos’. Embora tenhamos necessidades, somos iguais”, fala. Ela sofreu paralisia infantil.
Casal de namorados é fotografado
Os namorados Maria Sirlene dos Santos, de 36 anos, e Manoel de Jesus, de 38, puderam eternizar o amor através das lentes de Vicentti. Ela também foi vítima de um acidente no trânsito e ele no trabalho. Fotografados juntos, os dois concordam que a iniciativa deve servir como importante meio de conscientização.
“No início senti vergonha, nunca tinha tirado foto, imagina com namorado. As fotos que vi ficaram muito boas. Certamente, o trabalho vai mostrar para sociedade que somos capazes de sermos felizes, viver e interagir em sociedade, independente de qualquer deficiência”, defende Maria Sirlene.
Namorados Maria Sirlene e Manoel de Jesus foram fotografados juntos (Foto: Marcos Vicentti/Arquivo pessoal)Namorados Maria Sirlene e Manoel de Jesus foram fotografados juntos (Foto: Marcos Vicentti/Arquivo pessoal)
Campanha quer arrecadar R$ 25 mil para projeto
Para a produção do calendário em alta qualidade e da exposição, uma campanha colaborativa na internet tenta arrecadar R$ 25 mil para o Sou Mais Eu. Marcos Vicentti garante que o dinheiro será investido totalmente no projeto. Para colaborar, os interessados podem acessar a plataforma de financiamento coletivo (acesse aqui).
Edvânio Silva, presidente da Capedac, acrescenta que o Sou Mais Eu já tem possibilitado ao cadeirante desenvolver uma nova visão de si mesmo, se sentindo mais inserido e atuante. Além disso, ele acredita que o calendário vai gerar a reflexão sobre o preconceito.
“O cadeirante pode se redescobrir com um novo talento. Normalmente, quando uma pessoa vai parar numa cadeira de rodas, ela tem sempre o pensamento negativo de que a vida parou. Esse trabalho traz ao cadeirante uma nova visão de si mesmo. Alguns vivem isolados e isso abre um novo horizonte”, finaliza.
  •  
No total, projeto quer fotografar em torno de 25 pessoas  (Foto: Marcos Vicentti/Arquivo pessoal)No total, projeto quer fotografar em torno de 25 pessoas (Foto: Marcos Vicentti/Arquivo pessoal)

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Projeto Eu Sou Mais Eu.

Fotos @Marcos Vicentti  - Todos direito reservados ao Fotografo.

Projeto que visa fotografar 25 deficientes físicos, onde a culminância será exposição fotográfica e calendário 2017 no dia 03/12/16, onde se comemora o Dia Mundial da Pessoa com Deficiência Física. O objetivo é trazer questões para serem debatidas pelas pessoas, por ser necessário a reconstrução de valores, tanto da pessoa com deficiência, como dá sem deficiência, pois as imagens negativas construídas estão na cabeça dos dois lados, e de muitas formas se alimentam, impedindo que se estabeleçam relacionamentos maduros e sustentáveis.




 A exposição fotográfica ira percorrer algumas escolas municipais e estaduais.
Contribua para que esse projeto seja um sucesso no estado do Acre.
Para contribuir, abra esse link:




E CONTRIBUA e faça sua contribuição nos valores de:
R$10,00
R$30,00
R$50,00
R$100,00 ou conforme a sua vontade.

A CAPEDAC agradece a sua ajuda.



segunda-feira, 18 de abril de 2016

Projeto Sou Mais Eu- Faça a sua Contribuição.
Projeto que visa fotografar 25 deficiente físicos , onde a culminância será exposição fotográfica e calendário 2017 no dia 03/12/16, onde se comemora o Dia Mundial da Pessoa com Deficiência Física. O objetivo é trazer questões para serem debatidas pelas pessoas, por ser necessário a reconstrução de valores, tanto da pessoa com deficiência, como da sem deficiência, pois as imagens negativas construídas estão na cabeça dos dois lados, e de muitas formas se alimentam, impedindo que se estabeleçam relacionamentos maduros e sustentáveis. A exposição fotográfica ira percorrer algumas escolas municipais e estaduais do estado do Acre.
Fotos Marcos Vicentti

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/eu-sou-mais-eu-projeto-fotografico



segunda-feira, 11 de abril de 2016

Curso de fotografia para cadeirantes chama a atenção do Brasil
Capacitação segue em maio e produção dos cadeirantes será exposta em evento de mobilidade no Maranhão

Fotos Marcos Vicentti

O Instituto Acreano de Imagens (IAI) avalia como sucesso absoluto o  curso intensivo de fotografia básica destinado aos cadeirantes filiados ao   Centro de Apoio à Pessoa com Deficiência Física do Acre (Capedac). Treze pessoas, incluindo um cadeirante fotógrafo profissional de Senador Guiomard  puderam  participar do curso realizado nos últimos dias  9 e 10 de abril, no auditório da Prefeitura de Rio Branco.


Para as aulas práticas, os cadeirantes percorreram pontos históricos de Rio Branco, como o Palácio Rio Branco, a Praça da Revolução e o Mercado Velho. “A gente vê o mundo por outro ponto de vista”, disse o funcionário  público  Claudio, que disse também que o curso serve para “o cadeirante passar sua visão de mundo para o andante”.

“O que peço a eles é que possam se firmar nesta arte”, disse Josafá Vieira, residente em Senador Guiomard, onde também trabalha como fotógrafo profissional. O presidente do Capedac, Edvânio Silva, enalteceu mais uma vez  a iniciativa do IAI, reafirmando  que o curso abre série de oportunidades aos cadeirantes. “Eleva a autoestima. Poderíamos estar em casa sem fazer nada mas estamos aqui aprendendo algo novo”, reafirmou Edvânio.
O aluno que concluir todas as etapas do curso  terá amplo conhecimento sobre as técnicas mais básicas de fotografia, além do  contato com a história dessa arte,  , manuseio do equipamento, podendo, a partir dessas informações, iniciar sua atuação por hobby ou  até mesmo  como fotógrafo profissional. O  mercado de fotografia está aquecido e em ascensão, e as profissões ligadas à essa arte  se movimentam no ritmo acelerado das tecnologias digitais, que assumem lugar de destaque no cotidiano das pessoas e das organizações.


O presidente do IAI e instrutor do curso, Marcos Vicentti, anunciou para os  dias 7 e 8 de maio a segunda da capacitação. O projeto chamou a atenção de movimentos de outros Estados.  Em julho, por exemplo, fotos produzidas ao longo do curso serão expostas em um eventos de mobilidade social em São Luiz, no Maranhão.
Veja o vídeo do Workhop:
http://g1.globo.com/ac/acre/acre-tv/videos/t/edicoes/v/cadeirantes-participam-de-curso-de-fotografia-inclusiva-em-rio-branco/4949000/

terça-feira, 29 de março de 2016

IAI promove curso de fotografia exclusivo para cadeirantes
Capacitação é gratuita e voltada aos filiados do Capedac. Trata-se do 1º curso do gênero na região Norte

O Instituto Acreano  de Imagens (IAI) firmou parceria para ministrar um curso intensivo de fotografia básica aos filiados ao  Centro de Apoio à Pessoa com Deficiência Física do Acre (Capedac). Doze pessoas devem participar do curso, que será realizado nos dias 9 e 10 de abril, a partir das 8h, no auditório da Prefeitura de Rio Branco (Centro). “Temos o orgulho de participar da vida dessas pessoas. É o primeiro curso de fotografia na Amazônia voltado exclusivamente para os cadeirantes”, disse Marcos Vicentti, presidente do IAI e instrutor do curso.

O presidente do Capedac, Edvânio Silva, enalteceu a iniciativa do IAI e disse que o curso abre série de oportunidades aos cadeirantes. “Eleva a autoestima e traz a perspectiva de descoberta de um novo talento e uma profissão”, disse Edvânio.
O curso voltado aos cadeirantes é pioneiro mas iniciativas sociais compõem a marca do IAI. Com os Cipós Fotográficos, por exemplo, fotógrafos amadores ou profissionais podem trocar fotos por brinquedos que são doados para crianças de comunidades carentes de Rio Branco.
Presidente do IAI Marcos Vicentti e Presidente Capedac Edvanio.  
A carga horária para o curso da  Capedac é de 14  horas.  O aluno deste curso terá contato com a história da fotografia, técnicas e manuseio do equipamento fotográfico, podendo, a partir destes conhecimentos, iniciar sua atuação até mesmo  como fotógrafo profissional. O mercado de fotografia está aquecido e em ascensão, e as profissões ligadas à essa arte se movimentam no ritmo acelerado das tecnologias digitais, que assumem lugar de destaque no cotidiano das pessoas e das organizações. 
O objetivo do curso, cuja carga horária é menor que o normal, é levar o estudante a fotografar cenas diversas utilizando os recursos fotográficos essenciais de um equipamento digital manual. Além disso, lembra Vicentti, o curso levará o estudante a “formar uma cultura fotográfica e senso crítico acerca de sua produção visando obter imagens com qualidade”. Em aulas práticas e teóricas, o aluno desenvolverá habilidades em história da fotografia, linguagem fotográfica, equipamento fotográfico manual e luz.



sábado, 26 de março de 2016


1º Workshop de Fotografia de Casamento ‘O Caminho para o Sucesso’


41


Conteúdo do workshop é dinâmico e abrange todas as áreas da fotografia especializada em casamento - Foto: Marcus Venicius
O Instituto Acreano de Imagens (IAI) traz para Rio Branco o 1º Workshop de Fotografia de Casamento “O caminho para o Sucesso”, que será ministrado nos dias 2 e 3 de julho pelo renomado fotógrafo Marcos Venicius, especializado em wedding. Há trinta vagas disponíveis, sendo que o investimento para o primeiro lote, de dez vagas, é de R$ 400; o segundo, de R$ 450, e o 3º, R$ 500.

Renomado fotógrafo Marcos Venicius é especializado em wedding - Foto: Cedida
Renomado fotógrafo Marcos Venicius é especializado em wedding – Foto: Cedida

O conteúdo é bastante dinâmico e abrange todas as áreas da fotografia especializada em casamento: “Trace uma meta”, “Em busca do sucesso”, “Como atender o cliente”, “Tabela de preços”, “Fechando um contrato”, “Como faturar com extras”, “Pós vendas”, “Fortaleça seu nome”, “Defina seu estilo”, “Saindo da zona de conforto”, “Ensaio pré-casamento”, “Ensaio trash the dress”, “Dicas fotos com fogo e água”, e “Dicas de diagramação”. Para se ter uma ideia, na disciplina “Ensaio pré-casamento” o fotógrafo discorre sobre equipamentos, locação, agregação de valores e direção. Em diagramação, uma matéria mais ampla, Marcus Venícius traz dicas sobre o que o profissional não deve fazer no tratamento da fotografia de casamento. No ensaio “Ensaio trash the dress” o cursando irá aprender técnicas para utilizar o melhor equipamento, buscar a melhor locação, fazer corretamente a direção do casal com práticas fotográficas ao vivo.
Marcus é o fundador do estúdio Marcos Venícius Photography, baseado em Ji-Paraná (RO). Ele trabalha com fotografia há mais de vinte anos e Procuro contar a história do casamento de forma harmoniosa, mostrando principalmente emoções deste dia tão especial e isso é visível nos meus trabalhos, presentes nos álbuns e fotolivros entregues. Mais Informações 68-99910076.
Da Assessoria